Como já mostramos por aqui, a Eritropoetina é um medicamento utilizado em casos de anemia causada devido a disfunções renais e outros problemas.

A anemia é uma doença que atinge mais de dois milhões de pessoas por ano no Brasil e se caracteriza pela má formação das células vermelhas no sangue, fazendo com que ele não tenha glóbulos vermelhos saudáveis o suficiente e que haja a redução do fluxo de oxigênio nos órgãos. Com isso, o paciente sente fadiga, palidez, falta de ar, tontura, vertigens ou batimento cardíaco acelerado.

Neste texto, você vai descobrir detalhes sobre a Anemia, como ela aparece, quais são os sintomas, o que causa no corpo e como o medicamento Eritropoetina pode ser usado no tratamento.

 

Eritropoetina: caracterização da Anemia

De início é importante mencionar o que é hemoglobina. A hemoglobina é o pigmento que dá cor aos glóbulos vermelhos (eritrócitos) do sangue e tem a função de transportar o oxigênio dos pulmões aos tecidos do corpo. Por isso, quando eles não estão funcionando adequadamente, o sistema todo fica comprometido e, assim, surge a anemia.

Existem dois tipos de anemia: a aguda e a crônica. Na anemia aguda, a falta de volume de sangue no organismo é mais importante que a falta de hemoglobina. A perda de sangue pode ir de 10% (tolerada) a 30% (mortal). Já na anemia crônica, não há perda de sangue no organismo, mas sim o aumento do volume plasmático e a falta de hemoglobina, que causa palidez e falta de oxigênio nos órgãos, dentre vários outros sintomas, que atingem principalmente o sistema nervoso, o coração e a massa muscular.

Eritropoetina: causas da Anemia

Normalmente, a principal causa da anemia é a deficiência de ferro no sangue, provinda de uma alimentação desregrada com insuficiência em alimentos fontes de ferro, como feijão, hortaliças, frutos do mar, gema de ovo e carnes vermelhas magras.

Além disso, em gestantes, a anemia pode ser causada pelas reservas insuficientes de ferro pré-concepcionais, elemento extremamente importante para a formação dos tecidos maternos e fetais e para o bem estar da mãe e do feto durante a gravidez.

 

Eritropoetina: sinais e sintomas da Anemia

Em casos de anemia aguda, o corpo não tolera a queda de glóbulos vermelhos, o que dificulta o ato de administrar os sintomas. Porém, em casos de anemia crônica, ocorre o contrário, pois o corpo tem tempo para se adaptar à falta de oxigênio. Os principais sintomas gerais da anemia são: fadiga, anorexia, palidez, indisposição, dificuldade de concentração, apatia, palpitação, dor de cabeça, vertigem e zumbido no ouvido.

Ainda há os sintomas de cada tipo de anemia, como anemia perniciosa, anemia ferropriva, anemia hemolítica e anemia do recém-nascido. Por isso, é muito importante consultar um médico e analisar qual o tipo da doença do paciente para fazer o diagnóstico e o tratamento.

 

Eritropoetina: diagnóstico da Anemia

O diagnóstico da anemia é feito, principalmente, pelo exame de hemograma, capaz de analisar e de chegar a muitos resultados:

  • Em casos de produção falha de hemoglobina, o hemograma apresenta quantidade de glóbulos vermelhos menor que o normal.
  • Em casos de anemia que acompanha doenças crônica, infecciosas, reumáticas, renais e endócrinas, ou seja, os casos de que se trata este texto, o hemograma não é esclarecedor necessitando, assim, de sinais clínicos ou exames de cada uma das doenças.

De qualquer forma, é muito importante consultar o médico para que ele possa analisar adequadamente a situação de cada paciente em específico.

 

O uso do Eritropoetina no tratamento da Anemia

A Eritropoetina é utilizada em casos de anemia derivada de outras doenças, como insuficiência renal crônica, câncer e quimioterapia, de paciente portador de HIV, artrite ou prematuridade, e se caracteriza como uma glicoproteína sintetizada pelos rins e pelo fígado que tem como função a regulação do sangue para que a circulação de oxigênio pelos órgãos funcione de forma adequada.

Quando o corpo não funciona da forma que deveria, o organismo passa a apresentar uma produção de glóbulos vermelhos desregulada, o que pode acarretar, então, na anemia e até mesmo na leucemia. Dessa forma, este medicamento traz ao organismo a glicoproteína necessária para que o corpo volte a funcionar normalmente e estimulando o aumento da quantidade de células vermelhas.

O uso da Eritropoetina varia de acordo com o caso do paciente. Sua aplicação pode ser intravenosa ou subcutânea. Se subcutânea, a aplicação é espessa e, por isso, muito dolorosa, mas pode ser feita pelo próprio paciente ou por uma pessoa treinada, em regiões do corpo que possuem maior concentração de tecido adiposo.

 

Por fim, a Eritropoetina é um medicamento muito usado para o tratamento da Anemia por insuficiência renal crônica, câncer e quimioterapia, de paciente portador de HIV e de outras causas, como artrite e prematuridade, já que trata os danos causados pela doença. Você pode encontrá-lo na Hera Medicamentos, distribuidora especializada em remédios de várias áreas. Caso esteja com dúvidas, acesse o nosso site e entre em contato!

Related Post

A Eritropoetina e a Anemia