A doença PTI não é muito conhecida pelas pessoas no geral. Porém, ela atinge, anualmente, 3 mil pessoas no Brasil e, por isso, cientistas da área de farmácia estão sempre em busca de novos tratamentos que aumentam o bem estar do paciente. Um exemplo disso é o Revolade, que, recentemente, teve seu uso aprovado em nosso país.

Neste texto, vamos mostrar o que é o Revolade e a PTI, como o medicamento funciona, indicações e contraindicações, como deve ser usado e outras informações essenciais.

 

A doença Púrpura Trombocitopênica Imunológica (PTI)

A Púrpura trombocitopênica idiopática (PTI) é uma doença sanguínea não contagiosa e não hereditária que provoca a diminuição das plaquetas no sangue. Nela, o organismo rejeita as próprias plaquetas, destruindo-as no baço.

A doença pode ser causada por infecções virais, infecções bacterianas graves, câncer hematológico (leucemia ou linfoma), transtornos da medula óssea, síndrome hemolítico-urêmica, tuberculose miliar, deficiência de vitamina B12 ou ácido fólico, quimioterapia ou radioterapia e doença autoimune. Dentre os sintomas da doença, estão sangramentos cutâneos ou mucosos, inchaço, aumento de peso, dor nas pernas e alterações de humor.

O diagnóstico da PTI é feito através de um hemograma, onde acontece a contagem de plaquetas. Caso o paciente seja diagnosticado com a doença, deve fazer uso de anti-inflamatórios hormonais, imunoglobulina ou, em casos extremos, a esplenectomia, ou seja, a remoção cirúrgica do baço. Agora, os pacientes possuem uma nova solução no tratamento, que é o caso do medicamento Revolade.

 

Revolade e a Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, no ano de 2010, o uso e comercialização do Revolade no Brasil. Isso porque ele é o único medicamento voltado para a redução de plaquetas em pacientes adultos com diagnóstico da doença Púrpura Trombocitopênica Imunológica (PTI). O remédio é pioneiro por ser utilizado especificamente para a PTI, resultando no aumento das plaquetas e na redução dos sangramentos, que podem até resultar na morte do paciente.

Por isso, essa aprovação significa uma esperança aos que sofrem com a doença no país, cujos casos podem chegar a 3 mil por ano, apesar de ser considerada rara. Ela tem como objetivo reduzir os efeitos colaterais dos tratamentos antigos e aumentar o bem estar e a qualidade de vida dos pacientes.

 

Como funciona o Revolade e para quem ele é indicado?

O Revolade é indicado a pacientes com a doença PTI crônica com um ano de idade ou mais e que apresentam risco alto de sangramento e hemorragia. Seu principal uso está voltado para o tratamento da redução de plaquetas em adultos com diagnóstico de PTI, já que ele é um agonista do receptor de trombopoetina.

 

Para quem o Revolade não é indicado?

No geral, o medicamento não possui contraindicações extremas. Porém, ele não é indicado a pacientes que possuem hipersensibilidade aos componentes do remédio, como a eltrombopag olamina, stearato de magnésio, manitol (E421), celulose microcristalina, povidona (K30), carboximetilamido sódico, hipromelose, macrogol 400, polissorbato 80 e o dióxido de titânio (E171).

Também não é indicado para gestantes e lactantes e pouco indicado a pacientes com insuficiência hepática e asiáticos e orientais.

 

Outras informações importantes sobre o uso do medicamento

Em relação à posologia do Revolage, é indicado o uso oral de 50mg uma vez ao dia por pacientes adultos e deve ser ingerido pelo menos duas horas antes ou quatro horas depois de qualquer alimento. Depois que o tratamento é iniciado, talvez seja necessário reajustar a dose para prevenir riscos de hemorragia, mas ela não pode passar de 75mg diárias. Entre em contato com o médico para verificar se houve mudança após o início do uso do medicamento.

Caso o número de plaquetas no sangue estiver menor que a meta (50000/uL) após duas semanas de tratamento, é recomendável que a dose aumente 25mg. Se essa quantidade for ultrapassada, é necessário diminuir a dose para evitar a hemorragia. É necessário, portanto, consultar o médico e regular a dose do medicamento de acordo com as necessidades do organismo.

 

Efeitos colaterais do medicamento

Ele pode causar reações adversas, como por exemplo:

Efeitos muito comuns: cefaleia.

Efeitos comuns: insônia, parestesia, catarata, xeroftalmia, náuseas, diarreia, constipação, dor abdominal, aumento da bilirrubina sérica, hiperbilirrubinemia, função hepática anormal, rash cutâneo, prurido, alopecia, artralgia, mialgia, espasmo muscular, dor óssea, fadiga, edema periférico.

 

Informações de manutenção do medicamento

Os comprimidos de Revolade são redondos, de cor branca ou marrom e possuem, em uma de suas faces, o número da gramatura (25 ou 50mg) e, na outra, o código GS NX3 (25 mg) e GS UFU (50 mg)  – antes de usar, confira o aspecto do remédio e suas características.

O medicamento deve ser mantido em embalagem original e em temperatura ambiente. Seu prazo de validade é de dois anos a partir da data de fabricação – não use medicamento vencido. Mantenha fora do alcance das crianças.

 

A Hera Medicamentos é uma distribuidora especializada em remédios de várias especialidades diferentes. Caso esteja com alguma dúvida em relação ao Revolade ou a qualquer outro medicamento especial, acesse o nosso site e entre em contato conosco!

Related Post

O medicamento Revolade e a doença PTI